10 Coisas que eu odeio em você

Diretor: Gil Junger
Elenco: Heath Ledger, Julia Stiles, Joseph Gordon-Levitt, Larisa Oleynik, David Krumholtz, Andrew Keegan.
Produção: Andrew Lazar
Roteiro: Karen McCullah Lutz, Kirsten Smith
Fotografia: Mark Irwin
Trilha Sonora: Richard Gibbs
Duração: 97 min.
Ano: 1999
País: EUA

Vai falar que você não passou a sua adolescência inteira cantando essa música e sonhando com o lindo do Heath Ledger.

A peça A Megera Domada, de Shakespeare, é transportada a uma escola contemporânea americana. A adolescente Bianca Stratford (Larisa Oleynik) nunca saiu com um garoto. Motivo: em sua família há uma regra segundo a qual ela só pode namorar depois que sua irmã mais velha arranjar um namorado. Kat (Julia Stiles), sua irmã, é bonita e inteligente, mas não tem traquejo social. Para resolver o problema, Bianca e Joey (Andrew Keegan), um garoto que está paquerando, arranjam um encontro entre Kat e Patrick Verona (Heath Ledger), um rapaz meio estranho e novo na cidade, que pode ser o par perfeito para a garota.

A trilha conta com bandas como Semisonic, Letters To Cleo, The Cardigans e Save Ferris, tudo bem anos 90 americano.Que fez o maior sucesso na epoca entre os adolescentes.

 

 

 

Anúncios

Juno

Em meados de 2008 certeza que você estava cantarolando essa música ” You’re a part time lover and a full time friend,the monkey on you’re back is the latest trend.I don’t see what anyone can see, in anyone else,but you…”

Quem não se lembra do filme mais fofo e indie que já teve???Juno,conta a historia de uma adolescente que engravida e decide entregar o bebe para um casal que não pode ter filhos.

A canção mais marcante é Anyone Else But You do The Moldy Peaches, que é interpretada também por Michael Cera e Ellen Page na última cena do filme

A trilha sonora ficou por conta do produtor Matt Messina,que escolheu bandas como Belle & Sebastian,Buddy Holly,Cat Power,Sonic Youth e The Velvet Underground.

O CD com a trilha sonora de Juno liderou a lista dos 200 discos mais vendidos nos EUA em sua semana de lançamento, coisa que não acontecia com uma trilha sonora de filme desde Titanic em 1998.

RENT

O musical de Jonathan Larson,Rent, é inspirado na obra de Puccini,La Boheme, mostra a lealdade e o amor entre os artistas que enfrentam a dificuldade para sobreviver e desenvolver uma carreira na cidade de Nova York nos anos 80,  única diferença entre os dois é que obra de Puccini se passa em Paris.

A peça tem como tema o uso de drogas, desemprego, homossexualidade e a AIDS, coisas que marcaram a época e que eram assuntos polêmicos.

Cada personagem tem uma historia de vida e um “problema” para enfrentar perante o julgamento da sociedade.Roger Davis é um músico que está lutando contra o HIV , espera escrever uma última canção significativa antes de morrer.Mark Cohen,cineasta e narrador da historia,é companheiro de Roger.

Rent aborda assuntos que naquela época ainda eram escondidos e vergonhosos para a sociedade aceitar.E atraves das músicas eles tentam “passar” para o público,que será que relamente vale a pena perder tempo por  qualquer besteira,será que não é melhor dar valor para o que relamente importa,se preocupar com quem esta do seu lado,com os seus reais objetivos.

Uma curiosidade sobre o musical é que antes de estrear, Rent, em Nova York,em 1994, o seu criador Jonathan Larson,morreu repentinamente.Assim muitas dizem que o tamanho do seu sucesso se deve a esse caso.

 

(500) Dias com ela

 

 

 

Diretor: Marc Webb

Elenco: Joseph Gordon-Levitt, Zooey Deschanel, Geoffrey Arend, Chloe Moretz, Matthew Gray, Gubler, Clark Gregg, Patricia Belcher, Rachel Boston.

Produção: Mason Novick, Jessica Tuchinsky, Mark Waters, Steven J. Wolfe.

Roteiro: Scott Neustadter, Michael H. Weber

Fotografia: Eric Steelberg

Trilha Sonora: Mychael Danna, Rob Simonsen



Quem nunca ouviu aquele velho ditado e realmente se identificou, “quem eu quero não me quer, e quem me quer eu não quero”.

É mais ou menos essa mistura que o filme (500) dias com ela ( 500- days of Summer), mostra contando a vida de Tom , um cara que desenha textos de cartões e cresce acreditando que um dia ira encontrar a “garota” de sua vida,como no filme “ A primeira vez de um homem”.Além de ser influenciado pelo filme ele também escuta o pop rock inglês.

Certo dia acaba se apaixonando por Summer, uma garota que não quer nada com ele, assim leva um fora. Desse jeito Tom fica deprimido e pensa-nos 500 dias que passou com ela para ver se descobre o que deu errado na relação. A partir daí o filme começa com o vai e vem dos 500 dias que eles passaram juntos.

Mas essa resposta é mais complicado do que imagina, lógico que todo mundo sabe,pois quando gostamos de alguém a ultima coisa que conseguimos imaginar é o que fizemos de errado ou não.Realmente Tom repara que Summer não queria nada com ele mesmo,o seu amor não era correspondido.

Quem ficou com a parte da criação desse belo acompanhamento musical da historia de Tom e Summer foi o diretor novato em criação de filmes o diretor de vídeo clipes Marc Webb,,juntos com os produtores musicas Mychael Danna, Rob Simonsen, fez com que a trilha sonora fosse à coisa mais marcante , que realmente ajudasse a contar a historia de Tom. Por isso podemos ver que aparecem nomes como, Regina Spector, The Smiths, Doves, The Clash, Black Lips e encontramos também uma musica da Carla Bruni, nessa mistura toda. Marc Webb trouxe toda a sua experiência em vídeos clipes como 3 Doors Down,No Doubt e Green Day para as telonas.

É pela trilha sonora que Tom e Summer tem uma ligação, mostrando para o público a importância da mesma ,que não é apenas uma musica de fundo no filme e sim é uma musica que dá o sentido para aquela historia “de não romance” acontecer entre os dois.

Uma música que podemos falar que representa esse amor de Tom por Summer,é Please, Please, Please, Let me get what I want’,do The Smiths.Outra musica,do próprio The Smiths,marca o “encontro’ dos personagens é There is a light that never goes out,essa será a ligação dos personagens.Podemos reparar também  que o nome (500) dias com ela,também tem como referencia no  rock inglês  de 1980.

No começo do filme o narrador já avisa que essa historia não é de amor,e sim sobre amor,” Essa é sim a história de um garoto que conhece uma garota. Mas você deve saber de cara, essa não é uma história de amor”.

Você pode não se apaixonar pela historia,narração,personagem, mas pela trilha sonora com certeza não vai conseguir deixar passar em branco,não é simples,comum.Ela acaba te envolvendo de um jeito que não tem como explicar, é algo que você nem perce,pois cada musica é muito bem colocada na cena certa para dar tal entendimento para o publico.Conseguimos reparar também o novato Marc Webb traz para o filme o espírito de um vídeo clipe mesmo,podemos chamar de “mini musical’,onde Tom canta uma musica para tentar explicar o que ele passa ao lado de Summer.

(500) dias com ela, conta a historia de dois personagens que descobrem que o amor realmente existe,um roteiro não-linear muito bem construído e uma trilha sonora com ótimas referencias,envolve a cena e combina com os dois.

 

 

Into the wild

Diretor: Sean Penn
Elenco: Emile Hirsch, Marcia Gay Harden, William Hurt, Jena Malone, Brian Dierker, Catherine Keener, Vince Vaughn, Kristen Stewart, Hal Holbrook, Dan Burch e Joe Dustin
Produção: Art Linson, Sean Penn, William Pohlad
Trilha Sonora: Michael Brook, Kaki King, Eddie Vedder
Ano: 2007

O filme Natureza Selvagem, conta a historia do jovem e corajoso Christopher McCandless de 22 anos e recém-formado na faculdade.

Ele resolve doar todo  o seu dinheiro a uma instituição de caridade, muda de nome e parte em busca de novas descobertas que ainda não tinha vivido sem dinheiro ou qualquer outra coisa que pudesse facilitar as suas descobertas,abandona a casa dos pais e sai pela estrada sem rumo.

Essa sua coragem e influencia de largar tudo e sair andando com rumo ao Alasca,veio de suas leituras que incluíam,Toltoi e Thoreau.Acreditava que chegando no Alasca conseguiria entrar em comunhão com a natureza selvagem e puras.Até chegar ao Alasca,passou por muita dificuldades,foi parar no México,dormiu em lugares comunitários,arrumava trabalhos temporários e vazia amizades por onde passava,desse jeito conseguia sobreviver até chegar a seu destino final.

Chris mostra a sociedade que teve realmente coragem a atravessar o país e a superar, ir além, suas próprias fronteiras chegando ao seu destino sozinho de qualquer interferencia do homem.Após experimentar esse lado solitário do homem,a natureza como ela realmente é,Chris reparou que  o seu lugar no mundo não era tão ruim assim mas já era tarde e não tinha mas volta.Desse jeito podemos reparar que nem sempre nossa vida,lugar que ocupamos aqui é realmente tão ruim e sem significado.

A história é complementada pela maravilhosa trilha sonora que foi produzia por Eddie Vedder,vocalista da banda Pearl Jam,foi um pedido do diretor Sean Penn. Misturou temas folks, guitarras cadenciadas, dedilhados de violas e, com temas bastante americanos, cantou as angústias e vereditos do rapaz que abandonou a vida em sociedade.

Percebemos que todas as músicas têm alguma ligação com a experiência e objetivo que Chris queria alcançar e mostrar para a sociedade mas no entanto acabou ele mesmo se perdendo em sua aventura.

Desse jeito a historia acaba sendo contando também com ajuda das musicas que refletem exatamente o que Chris estava passando,as duvidas,naquele momento.

Realmente ele foi uma pessoa que teve uma coragem imensa,mas por ter cometido alguns erros acabou se perdendo na propria natureza que ele chamava de pura.

A música Society retrata diretamente a relação do filme com a trilha sonora,“Society, you’re a crazy breed / Hope you’re not lonely without me” (Sociedade, você é uma raça maluca, espero que não se sinta só sem mim).

A Bela e a Fera

Ano de Lançamento (EUA): 1991)
Estúdio: Walt Disney Pictures
Direção: Gary Trousdale e Kirk Wise
Roteiro: Linda Woolverton, baseado na historia de Roger Allens
Produção: Don Hahn
Música: Alan Menken e
Edição: John Carnochan

Vamos voltar um pouco no tempo, e lembrar de quando ainda éramos crianças e assistíamos  todos os clássicos da Disney.Para cada um teve um filme que marcou, mas um em especial teve uma trilha sonora imbatível, A Bela e a Fera, que levou para as telas um repertório de canções inesquecíveis da dupla de compositores premiada com o Oscar, Alan Menken e o falecido Howard Ashman. Os compositores participaram da produção desde suas fases iniciais de desenvolvimento e tiveram uma grande influência sobre a estrutura final da história.

A dupla não compôs apenas a trilha sonora do desenho, mas sim, ajudou realmente a narrar a historia de A Bela e a Fera, pois cada música ajudou a compor o personagem. Combinaram influências clássicas, barrocas e francesas a fim de mostrar realmente o clima e a energia desse vilarejo provinciano onde se passa a historia. Como na musica de abertura do filme é simplesmente intitulado “Belle” e apresenta ao espectador a heroína e sua grande ânsia de aventura e romance.Mostra também o despetar do pequeno vilarejo onde vive,eé nesse momento quando Bela senta na fonte,que ela  mostra ao público qual é o seu maior sonho.

Além da música de abertura tem a canção “Gastão” que é uma valsa de uma briga de botequim, onde mostra ao público a personalidade e revela o lado negro e maquiavélico do personagem, que até então era considerado “bom”. A canção “Something There” é uma bela balada que expressa em termos líricos os pensamentos mais íntimos e não verbalizados de Bela e da Fera, à medida em que eles passam a se ver mutuamente como realmente são.

Cada música tem um significado diferente e tem um porque em cada cena do desenho.Tudo isso foi muito bem pensado pelos dois compositores,Alan Menken e Howard Ashman,pois nao queriam apenas ajudar a montar a trilha do desenho,mas fazer com que a trilha fosse tão importante quanto o roteiro em si. Então nao poderia ser diferente,para contar a historia de A Bela e a Fera,nada melhor do que mostrar as caractisticas dos personagens atraves da múscia,o mais interressante é que 25 dos 85 minutos do filme são compostos por música,desses 25 apenas 5 minutos não tem nenhuma letra.

Agora nada melhor do que rever e entender melhor o que esses dois compositores maravilhosos,quiseram passaram para nós.

 

 

Cordel Encantado

   FICHA TÉCNICA

Autores : Duca Rachid      e  Thelma Guedes,

Direção: Amora Mautner, Gustavo Fernandez, Natália Grimberg e Ricardo Waddington.

A novela Cordel Encantado, é realmente uma mistura cultural com historias de princesas e cangaceiros. Escrita por Thelma Guedes e Duca Rachid, a trama mostra a história de uma princesa que desconhece a sua origem real e vive no sertão como plebéia, e de um jovem rapaz; filho de um dos grandes cangaceiros da época.

            Mas o que realmente chama a atenção é a trilha sonora escolhida para a novela que conta com músicas regionais brasileiras, típicas de lugares onde a tradição sertaneja ainda está presente. Começando com a de abertura de Gilberto Gil com a participação de Roberta Sá, Minha Princesa, que conta a historia do cordel.

As outras músicas não ficam muito longe da de abertura, pois todas as historias lembram historias de cordel e são cantadas por artistas brasileiros como Caetano Veloso,Zé Ramalho,Otto e Maria Bethânia, mostrando realmente como é a historia do cordel e sua sonoridade.

Estamos acostumados que na maioria das trilhas sonoras de novelas, filmes, rádios e teatros tocam apenas musicas que estão na moda ou foram sucesso. Em Cordel Encantado a proposta da trilha sonora foi totalmente o oposto de todas as novelas, além de resgatar as historias do cordel traz também as musicas que remetem a tradição sertaneja, que há muito tempo não era lembrada.

O que realmente desperta certa curiosidade no público, porque além de ser uma novela com um tema não muito abordado a trilha sonora ajuda a contar a historia do cordel, fazendo com que tudo faça sentido.