As aventuras de Tintin

Ficha técnica

  • Título original: Les aventures de Tintin
  • Autor: Hergé
  • Ano: 1990
  • Trilha: Ray Parker, Jim Morgan e Tom Szczesniak

“As aventuras de Tintin” surgiu originalmente em 1929, como uma série de histórias em quadrinhos. Foi transposta às telinhas em 1958, mas a adaptação mais conhecida é a de 1990 e é dessa produção que eu vou falar.

Tintin é um jovem repórter viajante que por suas andanças investigativas percorre o mundo sempre ao lado de seu companheiro, o pequeno Milu. Ao longo das aventuras muitos personagens aparecem, mas há os que são regulares: além do cão Milu temos o capitão Haddock e os irmãos Dupond e Dupont.

A série sem dúvida marcou uma geração, começando pela trilha de abertura! Digo por mim, que até hoje é minha referência mais forte de trilhas de ação. Ela também é usada no desenho em momentos de ação, perseguição (nesses casos somente a harmonia) e como tema do próprio Tintin.

A trilha é usada como apresentação dos personagens também em outros casos, como os irmãos Dupond e Dupont. Apesar de detetives, desastrados e desajeitados que são, sempre que estão em cena a dupla é acompanhada basicamente por fagote e piano, em notas bem marcadas com sonoridade semelhante à músicas de circo.

Levando em conta que no caso de um desenho animado até as vozes são escolhidas a dedo, a dublagem também entra nos méritos da sonoplastia. Como há muitos personagens rotativos e alguns poucos dos fixos possuem trilha própria, a caracterização e apresentação de cada um é feita também pela dublagem. O boêmio capitão Haddock tem a rouquidão de anos de embriaguez em alto mar; os vilões geralmente possuem vozes mais secas e falas bem moduladas; e o próprio Tintin, com uma voz clara e firme.

Tenho certeza que a série não agrada apenas os pequenos, pois ela (a sua maneira) tem – e realiza- pretensões de ser uma verdadeira peça de ação. Num geral os efeitos de ambientação e dos objetos são realistas, colaborando com a aproximação do desenho a filmes.

Quanto ao enredo dos episódios, a montanha russa que é a narrativa também é acompanhada pela trilha. Assim, o clima de suspense – e fixação do espectador – se mantém com as constantes viradas das situações.

Para os amantes saudosos do tempo em que Tintin tinha seu horário na TV fica a expectativa do filme que deverá sair aqui no Brasil em 2012. A direção fica a cargo de Steven Spielberg e a trilha será de John Williams, que tem no currículo filmes como “Star Wars” e “Indiana Jones”. Só esperar!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s